Archive for novembro \24\UTC 2010

h1

De passagem…

novembro 24, 2010

Sabe… estamos em um mundo fantástico
E devemos assumir a responsabilidade de estar em tal lugar
Você pode até estar caceteado ou com raiva dele
Mas isso não o torna menos estupendo

Assomboroso
Misterioso
Insondável

Estamos aqui neste deserto maravilhoso
Nesta época maravilhosa
Mas ficaremos por pouco tempo
Tempo de menos para podermos presenciar todas as suas maravilhas

E é por isso que todos os atos contam!

Se ficar com raiva do mundo faz parte da condição humana…
Então modifique-a!
Mais vale estar morto do que não conseguir reagir a este desafio

h1

O passo mágico dos anjos entre o caminho pisado dos insetos

novembro 14, 2010

Lhe assusto com o meu comportamento inesperado porque o seu comportamento esperado esta me fazendo subir pelas paredes! Seu espírto, fixo em rotinas pesadas e esquisitices, esta se tornando uma presa fácil. Repare nos animais: eles comem e bebem em certos lugares, fazem seus ninhos em pontos especiais, deixam seus rastros de certas maneiras… enfim, tudo o que fazem pode ser previsto ou reconstuído por um bom caçador. Entretanto, saber tudo isso não o torna um caçador digno do nome. Para ser um caçador, você deve tomar o cuidado de não passar a se comportar como a sua presa. Todos nós, em algum momento da nossas vidas, nos comportamos como a presa que perseguimos e isso, naturalmente, nos torna presa para algo ou alguém. Por isso, o maior desafio para um caçador é deixar de ser presa. Um caçador é livre, fluido e imprevisível. Não me importa se você acha que isto não passa de uma idealização impossível de ser realizada. Para ser um bom caçador, é necessário romper as rotinas da sua vida.

 

 

h1

Aos do sertão

novembro 6, 2010

Mostrar-se e esquivar-se
No momento oportuno…
Eis aí um grande segredo

Afinal de contas, não faz sentido se esconder
Se todo mundo sabe que você esta escondido!
Somos todos tolos, todos nós, eu e você, inclusive
Mas, até quando?

É preciso ser inacessível. E isto é diferente de ser dado a mistérios ou, então, de procurar esconder-se do mundo ou das pessoas. Ser inacessível é mais como tocar o mundo com leveza. É não encher a pança de comida, é não danificar as plantas, os rios, o ar, somente para fazer um lanchinho, é não utilizar e expremer as pessoas (especialmente as que amamos) até que elas sumam, é não se preocupar e, em desespero, agarrar-se a qualquer coisa… é preciso agir, propositadamente, de forma a evitar o esgotamento de si mesmo e dos outros. Afinal, por que agir feito um pobre filho da mãe que acha que nunca mais vai comer a vida toda e, então, devora tudo o que se vê pela frente?

Tocá-la de leve…
Ficar o tempo necessário
E, depois, passar adiante rapidamente
Deixando uma marca quase que imperceptível