Archive for fevereiro \03\UTC 2010

h1

Encruzilhada

fevereiro 3, 2010

I.

Não estou indiferente nem tenho desejo de recuar
Também não estou me preparando para morrer
Isso seria uma idiotice…
Estou me preparando para combater

Lutar como se fosse a minha última batalha na face da terra
Vencer ou perder pouco me importa
É a minha última batalha
E meu espírito já corre livre e claro

II.

É como estar no limiar
Onde meus escudos não funcionam mais
E agora, mais do que nunca
É a hora da escolha constante do caminhar com o coração

Esta é a encruzinlhada!

Fechar os olhos, abrir os ouvidos
E lentamente ir desfazendo o mundo
Até que ele se torne o que ele é…
Um simples mistério!

O mundo não é o que eu faço
E o que eu faço não pode me dominar
Pois o que eu faço não é maior nem mais importante
Que o próprio mundo

III.



E quando chegar a velhice
Estarei esgotado, achando que não tenho mais nada para viver?
Só terei esgotado tudo o que as pessoas fazem
Mas o mundo nunca se esgota… o mundo é um mistério!

O que eu faço não é mais importante do que o mundo
O mundo é um mistério sem fim
E o que eu faço é uma imensa loucura!

Anúncios
h1

I Got A Me Ride

fevereiro 1, 2010


Talvez o que eu precise é de um pouco de fúria
Tantas coisas pendentes em minha vida
Nada esta acabado… nada esta sem solução

Podem me colocar em uma cilada
Que eu não ligo
Mas que seja uma cilada de poder e entrega

Optei por um caminho forçado
Tenho que ser empurrado para o conhecimento
Estou sempre lutando, evitando, me preparando
Para algo muito maior e mais poderoso do que nós

“O mundo está realmente cheio de coisas assustadoras e nós somos criaturas indefesas, rodeadas por forças que são inexplicáveis e inflexíveis. O homem comum, por ignorância, acredita que essas forças podem ser explicadas ou modificadas; não sabe como real­mente fazer isso, mas espera que os atos da humanidade as expliquem ou modifiquem mais cedo ou mais tarde. O feiticeiro, ao contrário, não pensa em explicá-las ou modificá-las; ele aprende a utilizar essas forças, se redirigindo e adaptando ao curso delas. É esse o truque deles. Há muito pouco mistério na feitiçaria, uma vez que você descubra o truque. Um feiticeiro está só um pouco melhor do que o homem comum. A feitiçaria não o ajuda a viver uma vida melhor; de fato, eu diria que a feitiçaria o atrapalha; torna a vida dele complicada e precária. Abrindo-se para o conhecimento, o feiticeiro torna-se mais vulnerável do que o homem comum. Por um lado, seus semelhantes o detestam e temem e procurarão extinguir sua vida; por outro, as forças inexplicáveis e inflexíveis que cercam a cada um de nós são, para um feiticeiro, uma fonte de perigo maior ainda. Ser furado por um semelhante é realmente doloroso, mas nada que se compare a ser tocado por um aliado. Um feiticeiro, expondo-se ao conhecimento, fica à mercê dessas forças e só tem um meio de se equilibrar, a sua vontade; assim, tem de sentir e agir como um guerreiro. Repito mais uma vez: só como guerreiro é que a pessoa pode sobreviver no caminho do conhecimento. O que ajuda um feiticeiro a viver uma vida melhor é a força de ser um guerreiro.”

Carlos Castaneda, “Uma Estranha Realidade”