Archive for junho \30\UTC 2009

h1

junho 30, 2009

Chihuahuan Desert

Abaixo de nós, o vale escuro
Suas bordas já difusas na névoa noturna
Sentado, imóvel, olho para o campo
Um vento constante no meu rosto

“O crepúsculo é a fresta entre os mundos”

Então, como num sonho
Um grito incrível partiu de mim
Por um momento, pensei que fosse outra pessoa
Minha voz parece ter asas que batem dentro da garganta

Percebo um barulho zunindo em meus ouvidos
Como um imenso rugido de touro
Que me faz tremer

O mundo muda de claro para escuro
Conforme as batidas do meu coração
Num estado de completa confiança e abandono
Fico escutando o som da sua música

O Uivo – Sempre Mais

Anúncios
h1

Cega Clareza

junho 29, 2009

A clareza apaga o medo
E quando parece que nada se oculta
É que se esta mais cego

Obrigado a nunca duvidar de si
Se engana e tateia
Numa peça de faz-de-conta incompleta

Pois minha clareza é quase um erro
Um ponto diante da vista

Zeca Baleiro – Mundo Dos Negócios

h1

Medo

junho 28, 2009

Os objetivos nunca são claros no começo
Propósitos cobertos por fumaça
Intenção vaga
Recompensas que nunca se materializarão

Logo seus pensamentos entram em choque
O que se aprende nunca é o que se imaginava
E o medo começa a crescer impiedosamente, sem ceder
E o meu propósito se torna um campo de batalha

O Medo permanece oculto em todas as voltas do caminho
Um inimigo terrível, traiçoeiro, rondando, à espreita
Sigo sem fugir dele
Não serei um homem vencido

Tenho medo
Mas não paro
Meu propósito se torna forte
E, aos poucos, vencerei o medo derrepente

h1

Um Instante Muito Breve

junho 27, 2009

Propósito e vontade irrepreensíveis
Fazem-me pretender e querer a minha volta
Fazem-me pretender e querer lembar-me de tudo
Sem neblinas na minha mente

Honestamente seguindo as dificuldades do aprendizado
Vou tão longe quanto posso para desvendar os seus segredos
Sem precipitações ou hesitações
Desafio todos os meus inimigos naturais procurando vencê-los

São inimigos formidáveis
Ninguém poderá dizer se tenho chances de vencer
E a vitória, se vir, será temporária
Sem permanência, breve

h1

Transpiração

junho 25, 2009

vermelho

O calor me faz suar
Minhas orelhas fervem
Tudo esta vermelho
E meu peito faz meus dentes baterem

Vermelho forte e violento
Assim aprendo, e se aprendo
Não importa se é para melhor ou pior
Pois essa é a natureza do meu destino

Aos que buscam o poder:
Gente velha sem vigor
Jovens em busca de aventuras
Mulheres que desejam a paixão

Uma especial sensação de desconforto,
Braços e pernas comichando
E uma vontade de esfregar as costas em árvores

Um menino levado
Verificando os resultados de suas travessuras
Procurando o centro do poder permanente
Poder sem fim

Derrubar muros
Lançar pedras enormes
Alcançar as folhas das árvores mais altas
Pena que ninguém acreditaria…

h1

Conhecimento

junho 24, 2009

Vou como se estivesse indo para a guerra
Aprender a respeito de coisas que nenhum ser humano poderia me ensinar
Pois espero ir além dos meus linites

A tarefa mais difícil que eu poderia empreender…
Limites determinados pela minha própria natureza
Porém, por mais aterrador que seja o meu aprender
Mais terrível ainda é pensar num homem sem o conhecimento

h1

Aprendiz

junho 23, 2009

Primavera, verão, outono, inverno e... primavera

Começando a aprender, senti medo
E, quando se tem medo,
Vê-se as coisas de um modo diferente
E o medo é o meu primeiro inimigo

A única coisa necessária
É aprender sobre mim mesmo
Mas sem se preocupar comigo mesmo

Pois a seriedade esta ligada as coisas que eu faço
Mas não esta ligada ao que se passa ao meu redor
E o que me cansa é olhar demais para mim

Essa fadiga me torna cego e surdo
Para todo o resto
Penso na maravilha de nossas brincadeiras
E o resto vem por si